Como nós crescemos e aprendemos depois que nos tornamos mães, né? Uma dessas lições é entender o significado de “gratidão” e “devoção”.

Já cansei de citar meus pais aqui no blog, de como sou agradecida por toda ajuda que sempre me deram. Um apoio que não consigo nem descrever em palavras. Porém, esses dias me vi pensando em uma segunda mãe-avó que a vida me deu, gosto de chamá-la de Fofolete.

tradicionais_caixa
Fofolete original

Acredito que muitos também tenham uma Fofolete em suas vidas, pois a minha história é comum entre outras histórias.

Cresci em uma linda família, com direito a avós super presentes, pais extremamente amorosos e dedicados, dois irmãos maravilhosos (apesar de toda pancadaria kkk) e algumas babás e ajudantes do lar. Digo “algumas” porque a rotatividade era grande, não era fácil aturar nós 3, éramos crianças com muitaaaa energia (é o mínimo que posso descrever aqui, um eufemismo barato kkk). Poucas aguentavam aquela loucura!

Meus pais trabalhavam em dois lugares diferentes (ambos) e só chegavam em casa após 17h. Nesse meio tempo ficávamos aos cuidados da Fofolete, ela nos aturou bem mais dos que as outras que iam embora uma semana depois, ou até antes kkk. Essa mulher (que também é mãe de 3 filhos) nos aguentou por 16 anos! Vocês tem noção do que é isso?

Paula Machado é seu nome. Uma mulher guerreira, batalhadora, honesta e cheia de vida! Sou muito grata por tudo o que fez por nós, fico pensando em como sua influencia em nossas vidas afetou nossa educação. Paulete é despojada, humilde, divertida, brincalhona, fala palavrão, é do povo kkkk Ela me ensinou tanta coisa! Agradeço a Deus por ter tido esse equilíbrio na minha criação. Vejam bem, eu acredito que boa parte da minha alma irônica, desprovida de qualquer pudor tenha vindo dela!

Paulete entrava na brincadeira com a gente, encobria nossas travessuras, nos dava espaço para extrapolar! Paulete era (é) sagaz. Me ensinou a não levar a vida tão a sério, a fazer o melhor que posso com o que tenho.

Vocês tem noção que ela passava o dia cuidando de mim e dos meus irmãos e depois ia para a casa dela cuidar dos filhos dela (que já eram maiores, mas mesmo assim dão trabalho, né? kkk)! Mãe em duas jornadas, x 6! E mais: Não tinha tempo ruim pra ela! Tava sempre rindo e zoando com a gente! Um grande exemplo!

Muitos podem ter tido a sorte que eu tive, de terem sido apresentados a uma segunda mãe-avó pela vida. Foram 16 anos de devoção dessa pessoa por minha  família (que também é um pouco dela) e agora são 32 anos de amizade e gratidão que sinto por ela! Merecia ou não um texto especial?

Não deixem nunca de agradecer e demonstrar esse agradecimento a quem fez parte de suas vidas, a quem te acrescentou ❤

Ela diz que eu sou a “deusinhaa” dela, mas na verdade, ela que é minha ❤

11178401_10205689543870815_1718492564_n
Eu (gravíssima) e Fofolete
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s