Eu realmente não posso ajudar as mães de bebês que precisam deixar seus filhotes cedo na creche para voltarem ao mercado de trabalho.
 
Porém, para aquelas que esperam mais um pouco, posso dividir minha experiência e torcer para que eu contribua de alguma forma com esse momento tão delicado.
 
Já começo dizendo que cada criança é de uma forma, tem sua personalidade e vive em um contexto, então não existe formula certa. No meu caso, Aurora sempre viveu grudada em mim, até pq moramos em outro país, longe de família e rede de apoio, então é um cenário bemmm diferente e que induz a uma proximidade mais intensa.
 
Aqui na Inglaterra as crianças só iniciam na creche aos 3 anos de idade (a não ser que vc desembolse uma grana pesada e queira muito que ela entre antes, aí você pode procurar uma nursery particular ou uma childminder, pessoas credenciadas que cuidam de crianças em casa).
 
E comigo foi assim. Como tudo na vida isso tem seu lado positivo e negativo. O bom é que vc fica mais tempo com seu filho e chega num ponto em que sente a necessidade da separação, para que ambos possam seguir suas vidas, então há tempo para se preparar psicologicamente (até pq vc já está esgotada de cuidar de uma criança 24h por dia), então, para mim, já era necessidade, precisava ser feito. Foi um desligamento natural.
 
O ruim é que a criança já está habituada a você e obvimente pra ela isso é maravilhoso. Porque vc é a mãe, é o mundo dela.
 
Claro que não é fácil você deixar seu filho na creche a primeira vez. Por mais que você queira, tudo aquilo é novidade, é um ambiente “desconhecido” para ambos (mesmo que você tenha ido visitar e feito um trabalho de detetive pra descobrir tudo sobre aquele lugar). Então você precisa estar segura e isso leva tempo, assim como pra sua cria, que não entende muito bem porque aquilo está acontecendo e acha que será deixada lá pra sempre.
 
Então algumas dicas que eu dou que me ajudaram muito (lembrando que no meu caso Aurora já com 3 anos sabia se expressar e se comunicar bem comigo, então isso faciliou o processo):
 
1-CONVERSE MUITO! – Diga que na escola também terão muitas coisas divertidas para se fazer e amigos para brincar. Faça isso nos momentos alegres e fale com antecedencia, não deixe para tocar no assunto uma semana antes das aulas começarem. Eu sempre mostrava as crianças na rua indo para escola, falava dos acessorios que elas usavam (mochilas, garrafinha de água, uniformes) e que em breve sairiamos pra comprar o dela, dizia que todas faziam isso e os pais as deixavam lá e depois voltavam para buscar.
 
2-ENTENTA A ROTINA DE ATIVIDADES DA ESCOLA– Converse com a professora sobre o dia a dia na creche para entender as atividades e já preparar a criança sobre como será, mas na fase da adaptaçao evite brincar de coisas da escola em casa, para que a criança entenda que aquela é uma atividade que só deve ser feita lá, assim ela sente vontade de voltar.
 
3- PRA QUEM MORA FORA: ENSINE O BASICO DA SEGUNDA LINGUA- Se seu filho morar em outro país, com uma língua diferente e não tiver o hábito de utiliza-la, tente ensinar o básico para que ele não se sinta perdido. Um grande medo deles é também a barreira de comunicação com as professoreas e amigos! Eles aprendem megaaa rápido, mas no inicio isso pode ser mais um fator que prejudique a adaptacao. Então ensine a falar “oi, td bem?” , “vamos brincar”, “estou com sede”, “estou com fome”, “estou com dor”, “preciso ir no banheiro”, “não, obrigada”, “sim,obrigado”, “cuidado”… Também ensine o nome de algumas brincadeiras na outra língua e algumas frases e comandos que podem ser utilizadas pelas professoras como: “vamos sentar”, “lá fora”, “aqui dentro”, “venham”, “pular”, “correr”, “parar”….Eu sempre li livros e assisti desenhos em inglês com Aurora desde cedo já pensando nisso.
 
4- FIQUE PERTO NO PRIMEIRO DIA– Quando estiver na adaptação fique com a criança pelo menos no primeiro dia, explore o ambiente com ela, brinque com os brinquedos, interaja com as outras crianças, converse com as cuidadoras, passe segurança de que aquele é um local que você se sente a vontade. Na primeira semana se planeje para deixar a criança menos tempo na aula. É uma transição, é bacana ser feita aos poucos.
 
5- TENTE MANTER A CALMA mesmo se a criança berrar quando vc for sair. Se ela agarrar na sua perna, abaixe, olhe nos olhos, repita que isso é normal na vida de toda mamãe e filho, que agora ele/a é um menino grande e precisa ter o tempo dele na escola para aprender (mostre todos os amigos que estão fazendo o mesmo), que você precisa trabalhar (ou fazer o que tiver que fazer), e que você estará ali daqui a pouco para buscá-lo. Depois disso de um abraço carinhoso e peça ajuda para alguma professora para pega-lo pela mão e saia com confiança. (Eu saia plena, mas ficava do lado de fora esperando por 1h, 1:30h nos primeiros dias kkkk).
 
6- VALIDE OS SENTIMETOS (SEU E DELE). Pra mim esse ponto foi CRUCIAL! Toda vez que eu ia buscá-la eu perguntava o que ela tinha feito e o que ela tinha sentido. Ela sempre citava a “saudades” e eu dizia que também tinha sentido muitas saudades e que aquilo era super normal porque estavamos acostumadas a ficar juntas o dia todo. Mas sempre reforçava que aquele sentimento iria ficar mais leve a medida que ela se enturmasse e participasse das atividades. Ressaltava como ela estava aprendendo coisas bacanas e estava ficando mais esperta! Dizia que tinha muito orgulho dela!
 
A primeira vez que eu validei o sentimento dela de saudade e disse que também sentia aquilo, vi um alívio em seus olhos. Vi que ela entendeu que era parte do processo e sentiu confiança nas coisas que eu falava, pq percebeu que eu a entendia.
 
Portanto, sempre que eles citarem algum sentimento triste : OUÇA! Não tente mascarar com outra coisa boa apenas. VALIDE O QUE ELES DIZEM, diga que sim, é normal ficar triste, com saudades, com receio, que todos nós nos sentimos assim quando saimos da zona de conforto e enfrentamos a vida e novas oportunidades, e só depois tente substituir por um ponto positivo.
 
7- ENVOLVA O PAI NA ADAPTAÇAO– a maioria dos casos as mães ficam encarregadas de deixar e buscar as crianças na escola (pelo menos aqui), então, se tiver muito dificil a adaptação, organize com o pai dele ir deixar a criança. O resultado pode te surpreender. Os pais costumam ser mais práticos e já estão habituados com esse desligamento (já que começam a trabalhar mais cedo) e essa tranquilidade acaba passando para a criança, mesmo sem a gente perceber.
 
Conversem em família sobre como foi a escola e mantenha o pai por dentro de tudo o que acontece. Com a família toda envolvida eu acredito que passe mais confiança para a criança.
 
Isso que me passa pela cabeça agora…espero que possa te dar uma luz! Boa sorte para quem está começando essa empreitada! Força na peruca, confiança e muita paciencia!
 
obs: mães, eu sei que é dureza! eu sei que a gente também sente pra caramba a mudança, mas confiem, esse tempo é necessario pra vcs, pra eles, é libertador ❤
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s